BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

segunda-feira, 13 de julho de 2009

A Força da Mudança em Lordelo é a CDU





















Foi num ambiente de convívio e de grande confiança que se realizou o jantar de Apresentação da Candidatura da CDU à Assembleia de Freguesia de Lordelo, no dia 11 de Julho, em Lordelo. Na presença de 70 pessoas, entre as quais estava Cristiano Ribeiro, médico, coordenador da Comissão Concelhia de Paredes do PCP e 1.º candidato à Assembleia Municipal de Paredes, o jantar teve o seu ponto alto no discurso de Miguel Correia, o cabeça de lista da CDU para Lordelo, que soube empolgar de princípio ao fim o público.
Na sua intervenção, o jovem empresário e professor Lordelense, começou por traçar os objectivos da candidatura da CDU: «acabar com a gestão autocrática, do “quero posso e mando”, que tem dominado a Junta de Lordelo nos últimos anos, reforçar a CDU em Lordelo e vencer as próximas eleições autárquicas em Lordelo».
Num discurso pautado por fortes críticas à actual gestão Junta de Freguesia de Lordelo, o candidato foi firme ao denunciar «o clima de medo e de ameaça que paira em Lordelo», que tem como exemplos «as ruas alcatroadas ou lugares nas Escolas, Jardins de Infância e outras instituições para os familiares e amigos, o atropelo às mais elementares regras democráticas, como aconteceu nas últimas Eleições Europeias, onde só havia mesas eleitorais com gente do PSD e o facto vergonhoso de muitos Lordelenses serem maltratados e enxovalhados por exporem as seus anseios e opiniões».
Miguel Correia comprometa-se a romper com este clima antidemocrático, pois para a CDU não há «Lordelenses de primeira e Lordelenses de segunda. Com CDU, Lordelo vai ser devolvido aos Lordelenses, a todos os Lordelenses.
Num discurso várias vezes interrompido pelo entusiasmo dos presentes, Miguel Correia, lembra que a CDU é a única força da oposição em Lordelo, criticando o PS por fazer o jogo da actual maioria e faltar firmeza perante os atropelos à democracia perpetrados pela «maioria PSD disfarçada de independentes». Assim declara que a CDU em Lordelo será «uma voz firme e sem medo que lutará firmemente para que sejam debatidos e resolvidos os problemas verdadeiros dos Lordelenses, defendendo a qualidade de vida da nossa cidade.»
Depois das críticas, o candidato expõe as linhas mestras do programa eleitoral. «Exigimos que todas as ruas sejam pavimentadas ou melhoradas. Queremos a concretização de um plano de regularização do trânsito, com rotundas, sinais, passadeiras, sentidos únicos, barreiras protectoras onde é necessário. Queremos promover uma política urbanística baseada no respeito das normas legais e ambientais. Rejeitamos que haja prédios com lojas sem lugares para estacionamento e sem adequada ligação ao saneamento fruto dos compadrios entre empreiteiros e governantes. Precisamos de uma política de habitação social que procure fixar os Lordelenses na nossa terra. Precisamos de Jardins-de-infância e Escolas com condições dignas para os nossos filhos.»
Aborda a necessidade de haver uma verdadeira descentralização dos serviços camarários. «Está mais que na hora de um funcionário da Câmara para os Lordelenses não se deslocar a Paredes e alargar o período de funcionamento da Junta e de atendimento do Presidente, nomeadamente um dia à semana durante a noite e sábado de manhã.»
Fala também na necessidade da Junta de Freguesia promover acções de formação e de ter uma política de apoio e integração do cidadão deficiente, comprometendo-se a eliminar as barreiras físicas nas ruas e edifícios públicos.
Relativamente às questões culturais e patrimoniais é «imperioso reabilitar os moinhos de água em Cerqueda e Penhas-Altas, a ponte românica, tornar acessível a Torre dos Alcoforados, criar o Museu do Mobiliário, criar umas verdadeiras “Jornadas Culturais”, que não sejam um mero aglomerado de actividades promovidas pelas Associações de Lordelo ou pela Câmara Municipal de Paredes, abusivamente aproveitadas pela Junta de Freguesia, com actividades ligadas ao teatro, cinema, música, artes plásticas, etc.»
Em relação ao desporto realça a necessidade de construção de um Parque Desportivo Radical onde os jovens possam praticar desportos ou realizar actividades radicais e «utilizar muito mais o Pavilhão Rota dos Móveis, aliás foi para isso que ele foi feito, para as actividades desportivas e não para realizar acções de propaganda política ou Feiras de Mobiliários que não servem para nada a não ser para o Presidente da Câmara aparecer nos jornais». Informa ainda que com os equipamentos desportivos que a cidade de Lordelo dispõe «podemos realizar iniciativas maiores e melhores, como por exemplo, organizar Olimpíadas ou Jogos Internacionais em diversas modalidades desportivas em parceria com cidades estrangeiras.»
Em relação ao ambiente e qualidade de vida, considera «imperioso acabar com os maus-cheiros e descargas de lixo na nossa cidade. Para isso é necessário, colocar mais contentores para o lixo e uma maior e melhor recolha dos materiais recicláveis, proceder à limpeza dos fontanários, realização de amostras regulares à água e publicação dos resultados, à limpeza regular das margens do Rio Ferreira.» Sobre a poluição do rio Ferreira, o candidato afirma categoricamente que «temos que acabar com a verdadeira vergonha que são as descargas da ETAR de Arreigada. A este propósito convém lembrar que a actual gestão da Junta e da Câmara nada fez para resolver isto. A agora vemos o presidente da Junta preocupado com o rio, quando deixou que os tubos de ETAR fossem instalados no leito do rio, quando não ajudou e Associação Moinho na sua primeira acção de limpeza, nem sequer com um saco do lixo.»
Estas são algumas das propostas que Miguel Correia expõe que «resultam da análise e reflexão sérias, propostas ainda inacabadas porque aceitamos sugestões e opiniões para realizar um programa eleitoral de qualidade.»
Depois de traçar as principais medidas que realizará se for eleito, Miguel Correia recorda que «Há quatro anos, nas anteriores Eleições Autárquicas, a CDU cresceu, triplicou os seus votos, mas não conseguiu eleger, por poucos votos, nenhum elemento. E que falta faz um eleito da CDU na Junta de Freguesia! Hoje estamos mais fortes, mais organizados e confiantes. E esse é um objectivo não só possível como absolutamente necessário.»
O candidato chama a atenção «que não basta eleitos na Junta de Lordelo mas também «precisamos de um vereador da CDU na Câmara e mais eleitos na Assembleia Municipal.»
Na parte final do seu discurso, o candidato lembra os presentes que «todos devemos ser porta-vozes de uma nova fase política e devemos transmitir isso aos colegas de trabalho, aos familiares, aos amigos. Somos todos necessários para concretizar a verdadeira alternativa. No próximo dia 11 de Outubro os Lordelenses vão estar perante esta situação: ou votam na actual maioria PSD, disfarçada de independentes ou votam em nós. Não há outras alternativas sérias. Ou querem que tudo continue na mesma ou querem a mudança. Nós somos a força da mudança que Lordelo tanto precisa. E para isso não basta ser eleito para a Assembleia da Junta de Freguesia, é preciso que a CDU seja a força vencedora nas próximas Eleições em Lordelo.»
Em tom apoteótico, vai mais longe ao afirmar que Lordelo vai assistir ao «milagre eleitoral de ver a CDU nos destinos da nossa cidade», levando ao rubro os presentes que aplaudem em pé o seu discurso.
Depois desta intervenção, Cristiano Ribeiro, toma a palavra para mostrar o reconhecimento inequívoco do PCP e da CDU à «candidatura do Miguel Correia e da sua equipa que Lordelo tanto precisa e merece».

13 de Julho 2009



Sem comentários:

Enviar um comentário