BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

quarta-feira, 31 de março de 2010

Da leitura dos jornais: Movimento de Utentes reuniu-se com Agrupamento dos Centros de Saúde


Centros de saúde de Rebordosa e Lordelo vão ser transformados em USF’s

Os centros de saúde de Rebordosa e Lordelo vão ser transformados em unidades de saúde familiares (USF). Esta medida ainda não tem um prazo definido para ser implantada, mas deverá ser concretizada ao longo deste ano.
A novidade saiu da reunião entre o Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa (MUSS-L/R) e o Agrupamento dos Centros de Saúde Tâmega II - Vale de Sousa Sul, que decorreu na semana passada.
No final deste encontro, os representantes do Movimento mostraram-se satisfeitos com os melhoramentos introduzidos desde que a falta de médicos de família em Lordelo foi denunciada em vários jornais.
MUSS-L/R espera para ver promessas cumpridas
Na reunião, que contou com a presença de três elementos do MUSS-L/R, da directora do Agrupamento, Fátima Gonçalves, e do presidente do Conselho Clínico, Baptista Pereira, foram discutidos várias temáticas relacionadas com a saúde nestas duas cidades de Paredes.
No entanto, entre as principais conclusões, destaca Miguel Correia do MUSS-L/R, está o facto de os centros de saúde de Lordelo e Rebordosa passarem a funcionar como USF's. "Segundo os responsáveis do Agrupamento, os centros de saúde estão em condições de serem transformados em USF's. No entanto, essa é uma medida que será para ser concretizada ao longo do ano. O próximo passo vai ser escolher a equipa", revela Miguel Correia.
Antes disso já deverão estar em funcionamento as novas instalações do centro de saúde de Rebordosa, cujo atraso na abertura já provocou trocas de acusações entre PSD e o actual executivo da Junta de Freguesia. "Disseram-nos que a abertura do centro de saúde está para muito breve. Depende apenas das ligações da Portugal Telecom no interior", afirma.
Outro tema em foco na reunião da semana passada foi o número de utentes sem médico de família. E, no que a isto diz respeito, Fátima Gonçalves e Baptista Pereira defenderam que a recente contratação de médicos, mesmo sem ser com horário completo, está a suprimir lacunas antigas. Segundo foi transmitido aos responsáveis pelo MUSS-L/R, os novos médicos responderam, na totalidade, às necessidades de Rebordosa. Já Lordelo continua com 3600 utentes sem médico de família. "O panorama está ligeiramente melhor do que há umas semanas. A evolução tem sido positivo", admite Miguel Correia. Mesmo assim, o MUSS-L/R mantém algumas reservas até "que as promessas sejam cumpridas".



Presidente da ARS-N diz que médicos não querem vir para Paredes e Penafiel

O presidente da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) afirmou que Paredes e Penafiel, mas também Amarante e Marco de Canaveses são os concelhos nos quais é mais difícil colocar médicos.
As declarações de Fernando Araújo foram feitas ao jornal "Público", no âmbito de uma entrevista na qual o responsável defende que as Unidades de Saúde Familiar (USF) são a solução para resolver a falta de clínicos nos centros de saúde.
80 médicos pediram a reforma só em Fevereiro
O líder da ARS-N admite que dez por cento da população da região Norte, ou seja 400 mil utentes, não tem médico de família. E, dentro desta área, os piores concelhos são os de Paredes e Penafiel. "[Os pontos críticos] são Paredes, Penafiel, Amarante, Marco de Canaveses… É uma zona muito complicada. Temos muita dificuldade em convencer colegas a irem para lá", afirmou ao diário.
Segundo Fernando Araújo, nem com uma estratégia de sedução que prevê o pagamento de 750 euros a mais por mês a quem queira prestar serviços nestes concelhos, os médicos aceitam deslocar-se para o Vale do Sousa, sub-região que fica a pouco mais de 20 quilómetros do Porto. "Com urgências e horas extra, os médicos têm capacidade para ir buscar esse dinheiro, se ficarem na cidade", diz o responsável.
Neste contexto, a solução para a ARS-N deverá passar pela criação de USF's, medida que prevê a criação de uma equipa multidisciplinar gerida pelos próprios médicos e enfermeiros e que recebe do Estado conforme a sua produtividade.
O número de internos em formação na região representa, de igual forma, uma esperança para Fernando Araújo que só não é uma certeza devido ao elevado número de pedido de aposentações. "[O Norte] é a região que tem mais internos em formação. Houve uma aposta muito grande e os especialistas estão a começar a sair. Mas coloca-se o problema das aposentações. Com as novas leis, o número de pedidos de aposentação nestes dois meses de 2010 foi igual ao que tivemos no ano passado. Mais de 80 em Fevereiro, por exemplo", pode ler-se no "Público".


O Verdadeiro Olhar, 31 Março 2010

segunda-feira, 29 de março de 2010

Entre o novo e o velho

Março de 2003.
Comemorava-se o 82.º Aniversário do PCP em Paredes. O jantar decorreu em Lordelo, no esforço de descentralização de uma iniciativa habitual da Organização de Paredes do PCP.
Leia mais em:

sexta-feira, 26 de março de 2010

Perguntas à Comissão Europeia por João Ferreira

O eurodeputado comunista, João Ferreira, que visitou recentemente a nossa região colocou várias questões ao Parlamento Europeu, entre as quais:
- Saneamento de águas residuais em Paredes;
- Desemprego e precariedade no Vale do Sousa;
- Apoio às Cooperativas de Água do concelho de Paredes.

Ler mais:
PCP/Paredes

quinta-feira, 25 de março de 2010

MUSS-L/R reúne com ACES Tâmega II - Vale de Sousa Sul

O MUSS-L/R (Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa) reuniu hoje, pelas 9.30h, com o Agrupamento dos Centros de Saúde Tâmega II - Vale de Sousa Sul, representado pela Directora Executiva, Dra. Fátima Gonçalves, e pelo Presidente do Conselho Clínico, Dr. Baptista Pereira.

terça-feira, 23 de março de 2010

Requerimento - Centro de Informação Autárquica ao Consumidor

EXMO SR. PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE PAREDES

Cristiano Manuel Soares Ribeiro, eleito pela CDU na Assembleia Municipal de Paredes, no âmbito do Artigo 60º do Regimento da Assembleia Municipal de Paredes e nomeadamente da sua alínea b), que define os direitos dos membros da Assembleia, requer através da Mesa desta Assembleia ao Executivo Camarário o esclarecimento seguinte:
O Concelho de Paredes não possui um Centro de Informação Autárquica ao Consumidor que pudesse, por um lado, informar dos direitos das populações nas relações de consumo bem como mediar juridicamente conflitos de consumo.
Pergunta-se: para quando um Centro de Informação Autárquica ao Consumidor dotado de capacidades e recursos humanos (tal como existe em concelhos vizinhos), onde se aceite, trate e encaminhe por exemplo reclamações respeitantes a serviços públicos, como telefone, água, electricidade, gás, ou respeitantes a compra e usufruto de habitação própria ou aluguer?

O eleito da CDU

CRISTIANO RIBEIRO

segunda-feira, 22 de março de 2010

Da leitura dos jornais: o preço das SCUT

Cem quilómetros nas ex-Scut poderão custar 5,85 euros aos automobilistas. O Governo garante que a cobrança na A28, A29 e A41/42 arranca "já este ano", mas os movimentos de utentes prometem luta. A 17 de Abril, deslocam-se em marcha de protesto até ao Porto.
Cada quilómetro percorrido nas três Scut que passarão a ter portagens este ano poderá custar 5,85 cêntimos. Oficialmente, o Ministério das Obras Públicas diz que o valor a cobrar ainda está em fase de estudo, mas não desmente nem confirma a informação do JN de que a forma de cálculo seguirá a definida pelo antigo ministro das Obras Públicas, António Mexia. Isto é, que o valor da portagem seria 90% da taxa média cobrada pela Brisa, que, actualmente, ronda os 6,5 cêntimos.
A confirmarem-se estes dados, os trajectos nas Scut que se relatam nas próximas páginas ficariam por 1,11 euros (Grande Porto), 3,64 euros (Norte Litoral) e 2,34 euros (Costa de Prata). E, mensalmente, quem efectuar uma viagem de ida e volta diária naqueles percursos gastará 48,8 euros, 160,1 euros e 102,9 euros. A outra opção será demorar, por viagem, mais 34, 48 e 13 minutos, respectivamente.
Por outro lado, ainda subsistem dúvidas quanto ao método de cobrança. Os pórticos montados foram pensados para se articularem com os chips das matrículas electrónicas a instalar em todos os veículos. Porém, há, actualmente, três propostas de lei, apresentadas pelo PCP, PSD e BE, para revogar a obrigatoriedade daquele equipamento.
Marcha de protesto a 17 de Abril
Quem promete não ficar de braços cruzados à espera são as Associações de Utentes. Ainda ontem, numa reunião que juntou vários movimentos que contestam o fim das Scut, foi marcada mais uma acção de protesto. No próximo dia 17 de Abril, vão sair de Viana do Castelo, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Porto, Vila Nova de Gaia, Lousada, Paredes e Paços de Ferreira, entre outros municípios, várias marchas que convergirão na Avenida dos Aliados, no Porto, para um grande protesto.
"As Scut deverão permanecer como vias sem portagens, enquanto estejam localizadas em regiões cujos indicadores de desenvolvimento socioeconómico sejam inferiores à média nacional e não existam vias alternativas", justificou José Rui Ferreira, porta-voz do movimento, lembrando que os cálculos datam de 2006 e que, entretanto, o Norte foi das regiões mais vitimadas pela crise económica. E alerta: "Se o Governo não reconsiderar esta medida, outras acções semelhantes se seguirão". As auto-estradas sem custo para o utilizador foram criadas em 1997 para corrigir as assimetrias regionais. O princípio é simples: em vez de ser o utilizador, através das portagens, a financiar a construção, exploração e manutenção da via, um consórcio privado assume estas despesas e o Estado fica obrigado a entregar uma tarifa por cada veículo que nela circula.
Das sete Scut concessionadas actualmente, três têm morte anunciada: Costa de Prata (com uma média diária de 43 214 veículos nos primeiros 11 meses de 2009), Grande Porto (40 426 veículos diários) e Norte Litoral (33 875 veículos diários). A decisão já vem de Outubro de 2006, mas a sua concretização tem vindo a ser adiada. Todavia, em tempos de aperto todas as receitas são bem-vindas e o ministro das Finanças garantiu, em entrevista ao JN no passado dia 15, que a cobrança "arranca já este ano", estimando uma receita anual entre 120 e 130 milhões de euros.
Sobre as restantes Scut - Interior Norte (6046 veículos diários), Beira Litoral e Alta (14 555), Beira Interior (10 548) e Algarve (18 563) -, Teixeira dos Santos deixou as opções em aberto. "Vamos agora ver se cumprem os critérios. Se cumprirem, terão portagem; se não cumprirem, não têm".
O ministro das Obras Públicas também garantiu recentemente que a introdução de portagens é para avançar este ano, mas adiantou que existirão "isenções" para "trânsito local" e será, ainda, contemplada a situação do "utilizador frequente" da estrada.
JN, 21 Março 2010

domingo, 21 de março de 2010

I Assembleia da Organização da Cidade de Lordelo do PCP


No seguimento das conclusões do XVIII Congresso e da resolução "Avante! Por um PCP mais forte", aprovada em Novembro pelo Comité Central do PCP, o PCP/Lordelo vai realizar a sua primeira Assembleia:

Dia 10 Abril, sábado, 16h
Auditório da Biblioteca da Fundação A Lord

sábado, 20 de março de 2010

Da leitura dos jornais: Portagens nas SCUT's

«Miguel Correia, elemento do Movimento de Utentes das SCUT, considera a medida “inaceitável”, pois “é mais uma promessa quebrada pelo Governo, sobretudo porque os critérios definidos para a isenção de portagens continuam a existir, como por exemplo o facto de a nossa região ter indicadores socioeconómicos inferiores à média nacional ou a não existência de alternativas de oferta no sistema rodoviário”. O responsável pelo Movimento receia pela economia na região uma vez que as portagens são mais um custo à sua actividade numa altura de crise, e para todos os cidadãos que já apertaram demais o cinto”. Por isso, incentiva as pessoas a “mobilizarem-se e lutarem contra as portagens, participando activamente nas acções do Movimento de Utentes”, prometendo para breve novas formas de luta. “A Marcha Lenta pode ser uma das acções seguintes, mas tudo depende do Governo”.»
«Pelo menos um dos critérios adoptados pelo governo para a implantação de portagens na SCUT Grande Porto não corresponde à realidade. Numa reportagem feita em 2007 sobre o tema, uma equipa de jornalista do IMEDIATO fez o percurso Paços de Ferreira - Porto pela EN207 e regressou pela A41 e A42 e constatou que o tempo gasto no trajecto feito pela estrada nacional foi 167% superior ao gasto pela auto-estrada. As portagens só poderiam ser aplicadas se o tempo gasto no chamado trajecto alternativo fosse, no máximo, 30% superior ao gasto na SCUT.»
Jornal IMEDIATO, 12 de Março 2010

A propósito do PEC

«Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo… e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»
José Saramago, Cadernos de Lanzarote, Diário III

sexta-feira, 19 de março de 2010

Perguntas à Comissão Europeia

O eurodeputado comunista, João Ferreira, que visitou a nossa região recentemente, colocou duas questões à Comissão Europeia, uma sobre os apoios à criação do Parque Natural do Douro Litoral e outra acerca da Rede Natura 2000.

Apoios à criação do Parque Natural do Douro Litoral

A criação do Parque Natural do Douro Litoral constitui uma antiga aspiração das populações do distrito do Porto, no Norte de Portugal. Situando-se na envolvência de áreas densamente povoadas, pelas suas condições naturais, a área proposta para a criação do Parque – que abarca áreas dos concelhos de Penafiel, Paredes, Valongo e Gondomar e os vales dos rios Mau, Sousa e Ferreira – possibilitaria a criação de um espaço único de fruição da Natureza para as populações do distrito. Para além disso, possibilitaria uma melhor conservação de zonas classificadas, como o Sítio “Valongo”, integrante da Rede Natura 2000, que se encontra sob séria ameaça de degradação.

Assim, pergunto à Comissão:

- Que apoios comunitários poderão ser canalizados para a criação do Parque Natural do Douro Litoral, com a indispensável requalificação e ordenamento do território em questão e a adopção de medidas de protecção dos valores naturais em presença?

Apoios à conservação do Sitio “Valongo” da Rede Natura 2000

“Valongo”, no distrito do Porto, Norte de Portugal, constitui um Sítio de Importância Comunitária que abarca território de três concelhos – Gondomar, Paredes e Valongo – sendo parte integrante da Rede Natura 2000. Esta classificação atesta a relevância dos valores naturais em presença. O Sítio caracteriza-se pela presença de um conjunto de habitats protegidos com condições excepcionais para a ocorrência de flora e herpetofauna associadas a ambientes húmidos, constituindo uma importante área de refúgio à flora de características higrófilas. Restringem-se a este Sítio os únicos locais em Portugal continental onde podem ser observados os fetos reliquiais Culcita macrocarpa e Trichomanes speciosum, espécies de distribuição restrita, sob elevado grau de ameaça. No Sítio ocorre ainda o Narcissus cyclamineus, um endemismo ibérico raro e em perigo de extinção. O Sítio é ainda o único local de ocorrência de Lycopodium cernuum em toda a Europa Continental. É um dos sítios mais importantes para a população de salamandra-lusitânica (Chioglossa lusitanica), incluindo vários locais de reprodução confirmados para esta espécie endémica da Península Ibérica.

Não obstante a sua importância, o Sítio encontra-se sujeito a um conjunto de factores de ameaça, como sejam, entre outros: a qualidade da água muito degradada no Rio Ferreira e seus afluentes, a degradação dos povoamentos florestais, os fogos florestais e a degradação do sistema de minas e fojos. Constata-se que o financiamento para fazer face a estes factores de ameaça e promover a conservação dos valores naturais em presença tem sido insuficiente.

Em face do exposto, pergunto à Comissão:

1. Que programas e medidas poderão apoiar a conservação dos importantes valores naturais acima mencionados?

2. Que financiamentos comunitários poderão ser mobilizados para apoiar a despoluição dos rios Sousa e Ferreira?

Da leitura dos jornais: discriminação das mulheres

Estudo recente (dados de 2009) do economista Eugénio Rosa revela:

Escolaridade

Até Ensino Básico
M (Mulheres) – 29,7% da população activa
H (Homens) - 38,1%

Com Ensino Secundário e Superior
M (Mulheres) – 17,4%
H (Homens) - 14,7%

Emprego

Até Ensino Básico
M (Mulheres) – 29,3% da população empregada
H (Homens) – 38,1%

Com Ensino Secundário e Superior
M (Mulheres) – 17,6%
H (Homens) – 15%

Conclusão: Apesar das mulheres possuírem um nível médio de escolaridade superior ao dos homens, estatisticamente as entidades patronais parecem não reconhecer as suas competências no emprego

quarta-feira, 17 de março de 2010

Campanha nacional - Lutar contra as injustiças

Quinta-feira, 18-03-2010. Contacto com trabalhadores e distribuição de documentos, em Paredes, Lousada e Penafiel.
Contacto com população e distribuição de documentos, a partir das 09h30, na Feira de Paredes. Contacto com trabalhadores na Zona Industrial de Penafiel (12h30); empresa Bastos e Viegas (15h00) e Zona Industrial de Boim – Lousada (17h30)

segunda-feira, 15 de março de 2010

MUSS-L/R solicitou reuniões

O MUSS-L/R (Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa) aguarda resposta à solicitação de reuniões com os directores do Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega II – Vale do Sousa Sul, Centro de Saúde de Rebordosa e a Unidade de Saúde de Lordelo.

domingo, 14 de março de 2010

Da leitura dos jornais: "macacada" na AM Paredes

A Assembleia Municipal de Paredes continua a ser comentada de forma crítica, nomeadamente pelo tom insultuoso que PSD e PS utilizam nas suas intervenções. Mas muito mais acontece, que não tem sido divulgado, nomeadamente a intervenção séria e qualificada da CDU.
Percebe-se mal o tom abusivo de generalização que a todos enlameia em geral, num “todos iguais, mesmo que sejam diferentes”.
A propósito de um editorial de um semanário local (Forúm), que insinua um ambiente de generalizada “macacada”, e não reconhece uma distinta forma de agir na CDU, o respectivo autor merece que se lhe diga: “Cego também é o que vê e se nega a acreditar no que vê. Mas o pior cego é o que ilude o que realmente vê, tentando ser o que não é – justo e sério.”

sábado, 13 de março de 2010

Comício dos 89 anos do PCP na Maia



O Fórum da Maia foi o palco de mais um grande comício com a participação de Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP, que assinalou com confiança e entusiamo os 89 anos "do Partido que quer continuar a ser Comunista e Português".

Ver mais em http://www.pcp.pt/ ou http://www.porto.pcp.pt/



sexta-feira, 12 de março de 2010

Acção de Limpeza - 20 de Março

Várias entidades lordelenses vão juntar-se para realizar uma acção de limpeza das margens do rio Ferreira, no próximo dia 20 Março.
A coordenação desta iniciativa será da responsabilidade da Moinho - Associação Ambiental, Patrimonial e Cultural de Lordelo, associação que tem realizado diversas acções de limpeza na cidade de Lordelo.
Esta iniciativa servirá também para assinalar o Dia Mundial da Árvore.
Ler mais: A Farpa ou Moinho

quinta-feira, 11 de março de 2010

Propostas PIDDAC – 2010

A proposta de construção de uma nova sede para a Segurança Social em Lordelo foi recusada pelo Governo

O PCP apresentou na Assembleia da República, no âmbito da discussão do Orçamento de Estado, 43 propostas de PIDDAC que visam directamente a região do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, com o objectivo de combater a grave crise económica e social que se faz sentir nesta região.
Todas foram recusadas, em coerência com a política discriminatória de abandono das regiões mais desfavorecidas, nomeadamente as propostas referentes à nossa cidade:
• Construção do Museu do Móvel e do Artesão de Lordelo (Paredes)
• Criação de um centro de atendimento da Segurança Social em Lordelo (Paredes)



PCP critica “desinvestimento sistemático” do Governo no Vale do Sousa e Baixo Tâmega

Gonçalo Oliveira, da direcção sub-regional do PCP do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, acusou, terça-feira passada, o Governo de “abandonar” a região que sofre de um “desinvestimento sistemático” significativo. Na conferência de imprensa, levada a cabo em Penafiel, o partido atacou as políticas “erradas” da Administração Central, sobretudo no que toca às verbas atribuídas em PIDDAC a estas regiões que já são das mais desfavorecidas do país.

(Paulo Macieira, Gonçalo Oliveira, Jorge Machado e Armando Ferreira)

Jorge Machado, deputado do PCP na Assembleia da República, aproveitou para denunciar o chumbo por parte do PS e também do PSD e do CDS – que por se absterem não permitiram a aprovação – de 64 propostas de PIDDAC, que visavam directamente combater a grave crise económica e social desta região, apresentadas por este partido no âmbito da discussão do Orçamento de Estado. Um chumbo "que terá consequências nefastas para a região", alertam.
O abandono do projecto do IC35, há muito aguardado pela região, também está nas preocupações do PCP.

Graves carências nos equipamentos sociais
O PIDDAC, explicou Gonçalo Oliveira, devia servir para diminuir assimetrias e auxiliar no progresso da região, mas, as sucessivas diminuição de verbas atribuídas tem vindo a agravar, ainda mais, as condições de vida destas populações. "O PIDDAC é um exemplo de políticas erradas", frisou, salientando que as verbas atribuídas em 2010 foram metade das atribuídas em 2008, sendo que já aí houve grave discriminação face à região do Vale do Sousa e Baixo Tâmega.
Também Jorge Machado salientou a grave crise económica e social que se vive no distrito, sobretudo nesta região. "Importava que houvesse ruptura com certas opções políticas mas o investimento não para de diminuir, havendo concelhos sem um cêntimo de investimento", frisou o deputado.
As propostas apresentadas pelo PCP na Assembleia da República, consistiam sobretudo numa aposta nas áreas da segurança, saúde, apoio social e ambiente, com a construção ou melhoramento de equipamentos que consideram fundamentais para a qualidade de vida das populações e até dinamização do mercado de trabalho, como lares, creches, jardins-de-infância, centros de saúde e extensões, entre outros. "Existem graves carências dos equipamentos sociais que têm que ser colmatadas com urgência e essas medidas não estão a ser tomadas", disse Jorge Machado, criticando o chumbo das propostas.
A conclusão do IC35 também foi uma das questões abordadas. Os elementos do Partido Comunista trouxeram consigo um documento do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, datado de Junho de 2009, que dava resposta às questões lançadas sobre o estado desta obra. "A resposta do Ministério dava para breve a conclusão desse processo", mas como as recentes notícias dão como certo o seu adiamento, os comunistas mostram-se preocupados.
"Consideramos que este Orçamento de Estado e PIDDAC são uma vergonha", continuou Jorge Machado, defendendo que os partidos (PS, PSD e CDS) locais não podem ter dois discursos, um aqui e outro no Governo. "As moções apresentadas nas Assembleias Municipais são importantes, mas também as que os partidos adoptam depois na Assembleia da República", salientou.
A introdução de portagens nas SCUT, sobretudo na A41, também foi alvo de crítica. Mas o PCP acredita que "se a luta se mantiver acesa o Governo não avançará com portagens", até porque não estão cumpridos os critérios que o próprio Estado estabeleceu: não existem vias alternativas e o índice de desenvolvimento da região está bem abaixo da média nacional.

Notícia do "Verdadeiro Olhar" de 11 de Março 2010.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Associação Moinho no CFPIMM


O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia de Lordelo, Miguel Correia, participou, na qualidade de dirigente da Associação Moinho, numa conferência sobre "Ambiente e Sustentabilidade", no Centro de Formação Profissional das Indústrias de Madeira e Mobiliário, instituição sedeada em Lordelo.

Ler mais:
A Farpa

DA LEITURA DOS JORNAIS

Infelizmente os jornais não reproduziram o conteúdo da Conferência de Imprensa dada em 5 de Março pelos Eurodeputados Comunistas Ilda Figueiredo e João Ferreira e por Jaime Toga, responsável pelo PCP/Porto. Sublinhe-se estes dados.
“Esta região (do Porto) tem um PIB per capita de 59, sendo a média nacional 100 e o ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem é inferior em 306 euros ao ganho médio do País, conforme comprova o quadro que se segue.

Em todos os 8 concelhos do distrito do Porto que integram a sub-região do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, o desemprego é superior à média nacional (ver quadro abaixo).

Durante os últimos anos, a emigração foi o recurso para muitos trabalhadores daquela região. O êxodo de trabalhadores para o estrangeiro, pela sua dimensão e impacto que tem nas comunidades de origem dos emigrantes, faz lembrar, em alguns aspectos, a vaga de emigração da década de 60.”

domingo, 7 de março de 2010

Jantar do 89.º aniversário do PCP


João Ferreira e Cristiano Ribeiro
O restaurante Chalé, em Vandoma, foi pequeno para acolher a centena e meia de militantes e amigos do PCP. Em ambiente de festa, os comensais comemoraram os 89 anos do Partido, que nasceu em 6 de Março de 1921, que resistiu aos 48 anos de fascismo e teve um papel determinante na luta contra a ditadura e no surgimento da Revolução do 25 de Abril.
Este percurso histórico foi um dos vectores do discurso de João Ferreira, o eurodeputado comunista convidado para este jantar, que realçou que o PCP continua a sua luta na defesa dos direitos dos trabalhadores e do Povo português.

João Ferreira

Sessão Pública em Defesa da Água Pública


Após uma reunião entre o eurodeputado João Ferreira e os presidentes de algumas Cooperativas de Água do concelho, na sede da Junta de Freguesia de Parada de Todeia, realizou-se uma Sessão Pública em defesa de água pública.
Nesta sessão, ficou bem patente a necessidade de defender o acesso à água como um bem público, que nunca deve servir os interesses económicos. Mais uma vez denunciou-se a política da Câmara Municipal de Paredes sobre este assunto, que concessionou um bem universal à multinacional Veolia, empresa que pretende acabar com todos os subsistemas de fornecimento de água no concelho, em prejuízo dos cidadãos.

sábado, 6 de março de 2010

Encontro entre o eurodeputado João Ferreira e o MUSS-L/R


Como anunciado, o eurodeputado João Ferreira esteve, hoje de manhã, em Lordelo, reunido com o Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa. Este Movimento de Utentes entregou um documento aos representantes do PCP com as suas reivindicações.

Ler mais em:

sexta-feira, 5 de março de 2010

MUSS-L/R reune com eurodeputado


A convite do Partido Comunista Português, o Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa (MUSS-L/R) vai reunir com o eurodeputado João Ferreira, amanhã, dia 6 Março, sábado, às 10 horas, junto ao Centro de Saúde de Lordelo, em Lordelo, concelho de Paredes.
Este é o primeiro de vários encontros que o MUSS-L/R pretende ter com várias entidades.

http://muss-lordelo-rebordosa.blogspot.com/

quinta-feira, 4 de março de 2010

SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO CONCELHO DE PAREDES

2010/03/06
Período de "ANTES DA ORDEM DO DIA"
Apreciação e aprovação da acta da sessão Ordinária de 2009/11/28

Período da "ORDEM DO DIA"
1- Relatório de Actividades Municipais e Situação Financeira do Município;

2- Concurso público intemacional para aquisição de serviços de aluguer de construções pré-fabricadas destinadas a instalações provisórias do ATL do "Bairro O Sonho" e balneários do uso de Paredes Abertura de procedimento;

3- Concessão de exploração do estacionamento público de superfície, de estacionamento de duração limitada e utilização onerosa da zona "A', aquisição de terreno municipal e disponibilização ao uso público de aparcamentos subterrâneos privados na cidade de Paredes. Aprovação de relatório final;

4- Processo de desafectação do dominio público da antiga " Rua dos Correios" em Lordelo e áreas sobrantes de requalificação urbanística;

5- Plano de Urbanização de Recarei/Sobreira - Aprovação;

6- Celebração de protocolo de delegação de competências na Junta de Freguesia
de Recarei para realização de transporte escolar;

7 - Contrato de transferência de competências para o Municipio de Paredes em matéria de educação Encargos com pessoas singulares - Transferência de verbas;

8- Sinalização vertical e horizontal na via "Rota dos Móveis", na freguesia de Rebordosa.

terça-feira, 2 de março de 2010

Desemprego cresce em Portugal

Os dados sobre o desemprego, revelados hoje, mostram a situação gravíssima em que vivem os desempregados, grande parte dos quais vive sem qualquer apoio social. Franciso Lopes, do Secretariado do CC do PCP, em declarações à «Comunic», reafirmou que, para o PCP, esta é uma situação insustentável, ao mesmo tempo que existem mais de 700 mil desempregados, Portugal é um país cada vez mais dependente do exterior para as suas necessidades.
Ouvir em http://www.pcp.pt/