BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

sábado, 5 de fevereiro de 2011

O impasse na Junta de Freamunde

Nas eleições de 11 de Outubro de 2009, o PSD obteve a vitória para a Junta de freguesia de Freamunde por maioria relativa, mas não conseguiu criar o necessário consenso junto das restantes forças políticas para proceder à eleição do Executivo da Junta.
Perante esta situação de impasse, a posição da CDU foi pautada pelo respeito da vontade popular - que retirou a maioria absoluta ao PSD - e pelo respeito do princípio legal e democrático que estabelece que cabe ao partido vencedor das eleições, encontrar uma solução de governação para a Junta de Freguesia.
Sucede que em torno da questão da composição do futuro Executivo da Junta, a discussão degenerou até chegar ao ponto em que os eleitos apenas discutiam cargos, o poder pelo poder.
A incapacidade - ou falta de interesse - do PSD em conduzir o processo a um desfecho é por demais evidente. Não tendo assumido uma postura de diálogo, que colocasse em primeiro lugar os interesses da freguesia, o PSD contribuiu para criar a noção que o assalto ao poder, por todos os meios, mesmo que sem fundamento legal ou legitimidade democrática, era o caminho.
O principal promotor desta tentativa de conseguir na secretaria aquilo que o povo freamundense não lhes havia concedido nas eleições, foi o Partido Socialista.
O PS demonstrou claramente aos freamundenses que não é em nada diferente do PSD que tanto critica! De forma oportunista, conduziram este processo ao terreno que mais lhe convinha, o da radicalização do discurso, onde por entre fogachos de retórica inflamada, procuram esconder a sua incoerência.
De facto o PS quer o "poder pelo poder". Nada mais se pode concluir das posições que tem vindo a tomar. E a defesa da demissão em bloco de toda a oposição - para além de não ter cabimento em democracia - confirma esta visão distorcida do poder local, é a tese do "tudo ou nada", ainda mais aberrante por partir de um partido que está na Assembleia da República com maioria relativa.
A CDU não pode ser considerada responsável pela situação que PSD e PS criaram, foi a radicalização do discurso encetada pelo PS, a inépcia do PSD, e o correspondente extremar de posições na freguesia, que criou o ambiente hostil à ponderação serena e conscienciosa de soluções que hoje se vive em Freamunde.
O facto desta ser a primeira tomada de posição da Comissão Concelhia de Paços de Ferreira do PCP sobre este assunto, mais de um ano passado sobre as eleições, revela a nossa recusa em contribuir para este rol de interesses.
No entanto, uma vez que a CDU/ Freamunde não tem condições políticas para quebrar o impasse que PSD e PS criaram, não nos resta a nós outra opção que não passe por aguardar uma decisão do Presidente da Junta sobre o futuro da freguesia, que na nossa opinião, passa inevitavelmente pela convocação de novas eleições.
A conclusão mais importante a retirar deste triste episódio da história de Freamunde, é que PSD e PS revelaram, para que todos pudessem ver, que nada os distingue no campo das acções e intenções, ambos fizeram tábua rasa dos compromissos que haviam assumido com o seu eleitorado, ambos esqueceram os seus programas eleitorais no dia a seguir às eleições, preferindo discutir "cargos" em vez de "projectos".
A guerrilha política criada pelo apego ao poder do PSD e PS, apenas os distancia dos problemas da população, não um do outro.
31 de Janeiro de 2011
A Comissão Concelhia de Paços de Ferreira do PCP

Sem comentários:

Enviar um comentário