BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poluição do rio Ferreira: Miguel Correia confronta Pedro Pinto


Ontem, a sessão da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira ficou marcada pela presença de um grupo de lordelenses liderado por Miguel Correia, deputado da CDU na Assembleia de Freguesia de Lordelo e fundador da associação ambientalista Moinho.

O deputado de Lordelo, no período destinado ao público, dirigiu-se a Pedro Pinto, o presidente da edilidade pacense, para o acusar de “desrespeito para com o povo de Lordelo” e transmitir a indignação e revolta dos lordelenses, em relação às descargas efectuadas pela ETAR de Arreigada, a jusante da levada do Souto.

Este local de grande beleza paisagística é frequentado por centenas de pessoas, especialmente no Verão. Por isso, Miguel Correia convidou Pedro Pinto a visitar este local e a percorrer as margens do rio Ferreira, em Lordelo, a fim de perceber a dimensão do problema – os detritos que provocam a mortandade dos peixes e os cheiros nauseabundos –, que está a deixar a população e todos os amantes do rio “à beira de um ataque de nervos”.

Questionou ainda sobre a disponibilidade e a eventual existência de projectos por parte da Câmara Municipal de Paços de Ferreira para resolver este problema que existe há mais de 15 anos.

Na resposta, o presidente pacense disse que “respeita muitos Lordelo e os lordelenses” e que aceita o convite para visitar o rio em Lordelo, lembrando que, no ano passado, já percorreu as margens do rio Ferreira juntamente com presidente da edilidade paredense, Celso Ferreira, onde pode constatar o problema.

Fez depois uma resenha histórica do problema e afirmou que, apesar das melhorias alcançadas e dos relatórios ambientais demonstrarem que a ETAR cumpre a lei, reconhece que a poluição continua a existir e que afecta a população.

Revelou que tem projectos para resolver o problema e mostrou-se disponível para mostrar e discutir com os representantes do povo de Lordelo.

O assunto da poluição do rio Ferreira, em Lordelo, foi aproveitado pelos deputados municipais da oposição para lembrar a Pedro Pinto que a poluição do rio Ferreira também existe em território de Paços de Ferreira e que o edil pacense tenta “justificar a Lordelo o injustificável” e que “já ouvimos esse discurso que não resolveu nada”.

À saída da sessão, Miguel Correia, em declarações à imprensa, afiançou, que apesar de ter sido positivo a disponibilidade manifestada pelo presidente pacense, não ouviu nada de novo e espera que os projectos com vista a resolução do problema sejam concretizados de forma célere, porque os” lordelenses estão fartos de levar com a porcaria dos outros”.

1 comentário:

  1. Os meus parabéns pela atitude combativa e civilizada com que se tratou do problema do Rio na Assembleia Municipal de Paços de Ferreira.

    Cristiano Ribeiro

    ResponderEliminar