BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Movimento contra a extinção da Freguesia

A proposta de extinção da Freguesia de Parada de Todeia, enquadrada no “Livro verde da reforma da Administração local” apresentado pelo governo português, foi muito mal acolhida em Parada de todeia, por todos os eleitos para os órgãos autárquicos da Freguesia, e desencadeou um movimento de repúdio que pretende impedir a concretização desta medida, e manter Parada de Todeia no mapa administrativo do País, respeitando a sua identidade e a sua história como comunidade multi-secular, cuja génese se confunde no tempo, ou antecede mesmo, a fundação da própria nacionalidade Portuguesa, e mantendo os seus órgãos de administração local próprios, eleitos pelo povo, numa relação de proximidade insubstituível.
Por iniciativa da autarquia local, realizou-se uma reunião entre a Junta de Freguesia e a Assembleia de Freguesia no dia 31 de Outubro, com a participação das diversas Instituições e Associações da Freguesia, que deste modo aderiram à iniciativa, e deram corpo ao movimento de defesa da Freguesia. O movimento teve continuidade com a realização de uma Assembleia de freguesia extraordinária, convocada expressa e exclusivamente para o efeito, no dia 3 de Novembro, no salão de espectáculos da Junta de Freguesia, com um único ponto na agenda:
· Posição sobre o “Livro verde da Reforma da Administração Local”, onde se prevê a extinção de milhares de Freguesias, inclusive a Freguesia de Parada de Todeia.

Nesta Assembleia, o teor das intervenções, quer da Junta de Freguesia, pela voz do seu presidente, quer dos membros das bancadas da CDU e do Partido Socialista, e ainda de um número significativo dos cidadãos presentes nesta sessão, que foi bastante concorrida, não deixaram margem para dúvidas de que a esmagadora maioria dos paradenses repudia esta medida, e está disposta a participar nas iniciativas que se venham a realizar para impedir a extinção da Freguesia. Foi aprovada, por unanimidade e aclamação, uma moção de repúdio pela extinção da Freguesia, apresentada pela Junta de Freguesia, e foi também aprovada a constituição de uma COMISSÃO DE DEFESA DE PARADA DE TODEIA, que integra todos os membros da Junta de Freguesia e da Assembleia de Freguesia, representantes do Futebol Clube de Parada, da CADOPATO, da comissão Fabriqueira, da Associação para o desenvolvimento de Parada de Todeia, do Grupo Coral, da Conferência de S. Vicente de Paulo, da Associação de pais do Jardim de Infância da Cruz das Almas, da Comissão de Festas de Nossa Senhora dos Remédios, da Associação Filarmónica de Parada de Todeia, da Cooperativa de Habitação Nova Amizade, e de várias personalidades de diversas áreas da Freguesia, onde se destaca, pela seu significado político, a participação de Joaquim Sousa Leal, ex-autarca durante mais de 20 anos, e que antecedeu no cargo o actual Presidente da Junta.

O movimento pela defesa da Freguesia de Parada de Todeia englobou-se num movimento mais vasto denominado “MOVIMENTO FREGUESIAS SEMPRE”, que pretende enquadrar e aglutinar todas as Freguesias do distrito do Porto que estão contra a extinção de Freguesias, que ostenta o slogan “ NÃO À EXTINÇÃO/ANEXAÇÃO DE FREGUESIAS”, e é constituída por presidentes de Junta de quase todos os concelhos do Distrito do Porto, e ainda pelo representante do sindicato dos trabalhadores da Administração Local.

No dia 7 de Novembro reuniu-se este movimento, no salão da Junta de Freguesia de Parada de Todeia, com a presença de cerca de 90 Instituições, onde se incluíam várias dezenas de Presidentes de Junta de vários concelhos do distrito do Porto. Abertos os trabalhos pela Junta anfitriã, com a intervenção do presidente Álvaro Pinto, sucederam-se as intervenções dos presidentes presentes, que deram conta das diligências já efectuadas em diversas Freguesias, manifestaram o apoio ao movimento criado, se regozijaram pelo facto de o número de presentes ter aumentado em relação à primeira reunião, que tinha tido lugar em Leça da Palmeira, tendo chegado às seguintes conclusões:
· Ratificar o actual Grupo coordenador, constituído pelos presidentes de Junta de Parada de Todeia, Guifões, Macieira da Maia, S. Pedro da Cova, Valbom e Leça da Palmeira, e pelo representante do “STAL”.
· Reafirmar o repúdio total pelo documento “ Livro Verde da reforma da Administração Local”, e manifestar-se contra a extinção de Freguesias.
· Convocar para o próximo dia 20 de Novembro uma concentração de todas as Freguesias, na Praça D. João I no Porto, às 15H30, com objectivo de manifestar publicamente a sua oposição à extinção/anexação de Freguesias.
· Criar Comissões de defesa nas diversas Freguesias participantes do movimento.
· Solicitar reuniões aos Órgãos de Soberania - Presidência da República, Governo, Assembleia da República - e aos Presidentes de Câmara, para transmitir as posições de repúdio pelo documento que preconiza a extinção de Freguesias.
· Colocar as bandeiras das Freguesias a meia-haste desde o dia 20 de Novembro até ao dia 1 de Dezembro, como sinal de luto por esta proposta do Governo.
. Procurar introduzir na agenda das Assembleias Municipais uma moção de repúdio por este documento.
· Criar uma página no “ Facebook” para divulgação do movimento e troca de ideias e experiências.

O local da próxima reunião será anunciado na concentração de 20 de Novembro no Porto.

Sem comentários:

Enviar um comentário