BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

sábado, 3 de dezembro de 2011

Viva a Revolução Socialista de Outubro!




Dezenas de comunistas reuniram, hoje, em Penafiel, no Centro de Trabalho do Vale do Sousa e Baixo Tâmega do PCP para comemorar o nonagésimo quarto aniversário da Revolução Socialista de Outubro.
Gonçalo Oliveira, membro da DORP (Direcção da Organização Regional do Porto) do PCP, proferiu um discurso que pretendeu enaltecer uma data que faz parte da identidade dos comunistas, pois trata-se de um acontecimento que abriu caminho à construção de um projecto de eliminação de todas as forças de exploração, uma sociedade sem classes sociais. Lembrou que, as dramáticas derrotas do socialismo e o desaparecimento da URSS não anulam a grandeza do ideal comunista, sendo necessário não apenas não esquecer mas valorizar, aprendendo com as lições da experiência, nos erros e nos êxitos, retirando ensinamentos para a intervenção dos comunistas na actualidade.
O imperialismo tem vindo a prosseguir uma violenta contra-ofensiva no plano mundial com o objectivo de reconquistar posições perdidas, liquidar conquistas sociais e avanços democráticos. O caso actual do nosso país submetido aos ditames da troika estrangeira insere-se nessa lógica, onde os povos são tratados como mercadorias. E por isso, não é por acaso que a ideologia dominante e os seus executores persistem no desfiguramento da Revolução de Outubro para tentar evitar que os trabalhadores e os povos tenham a compreensão e a consciência da natureza predadora e cruel do capitalismo, quando expropria direitos sociais e civilizacionais e quando leva a guerra a várias partes do globo, sempre em nome de mais e mais lucro.
O dirigente comunista lembrou algumas tentativas por parte da ideologia capitalista e dos seus executores de ilegalizar algumas organizações comunistas internacionais – como é o caso da tentativa de ilegalização da Juventude Comunista Checa ou do Partido da Morávia e Boémia – e também os atentados anti-democráticos ao Partido Comunista Português, como atesta a Lei do Financiamento dos Partidos, aprovados pela troika nacional (PS, PSD, CDS) cujo objectivo principal é asfixiar financeiramente o PCP, e por conseguinte, a actividade política dos comunistas marcada pela independência face ao capitalismo.
Lurdes Monteiro, dirigente sindical e membro da DORP do PCP, aproveitou a ocasião para sublinhar o papel inspirador da Revolução de Outubro na actualidade e saudou todos aqueles que contribuíram para o êxito da greve geral do passado dia 24 de Novembro.
Esta iniciativa ficou ainda marcada pelo convívio recheado de momentos musicais.

Sem comentários:

Enviar um comentário