BLOGUE DA ORGANIZAÇÃO DA FREGUESIA DE LORDELO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

domingo, 29 de julho de 2012

Paredes: PCP contacta população




Ontem, no centro da cidade de Paredes, militantes do PCP, distribuíram à população o jornal de Verão do PCP, onde constam a posição da rejeição do pacto de agressão assinado entre PS/PSD/CDS com a troika estrangeira e o apelo à participação na Festa do Avante!. Os militantes comunistas de Paredes também abordaram a população no sentido de a mobilizar para a defesa das freguesias e a manutenção das valências do tribunal de Paredes.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Apontamentos recolhidos numa Assembleia Municipal de Paredes

1) O Relatório de Actividades e Situação Financeira do Município (Abril – Junho 2012) tem 62 págs. (quer na versão CD quer na versão papel).
2) Dessas 62 págs., 9 págs. estão em branco. As restantes 53 págs. dividem-se pelos diferentes pelouros e gabinetes. Assim retirada a Capa, ficam 9 págs para o Pelouro da Ação Social, 1 pág para o Pelouro da Juventude, 3 págs para o Pelouro do Desporto e Equipamentos Desportivos, 4 págs para o Pelouro do Planeamento e Desenvolvimento Urbano, 1 pág para o Pelouro do Turismo, 2 págs para o Gabinete de Arqueologia e Património, 1 pág para o Pelouro da Inovação, 10 págs para o Pelouro da Cultura (por erro as 5 págs da Cultura são reproduzidas duas vezes), 2 págs para o Pelouro da Educação, 16 págs para o Pelouro do Ambiente e Oficinas Gerais, Feiras e Proteção Civil, 1 pág para o Pelouro dos Serviços Gerais e 2 págs para a Situação Financeira.
3) O Pelouro dos Serviços Gerais é um dos mais sui generis. Para que conste, da sua actividade plasmada em documento consta: “limpeza das casas de Banho Públicas”, “reparação da Bandeira Nacional do Município”, “limpeza ao Museu Municipal”, “preparação do Salão Nobre para a realização de Reuniões…”. Percebe-se assim o que está limpo, reparado ou preparado. Do resto…
4) A mesma actividade (Projecto Voluntariado de Proximidade) aparece referida 2 vezes, uma na actividade do Pelouro de Ação Social e outra no Pelouro da Juventude). Mas com um particularismo: um fala de 10 idosos, 4 técnicos e 17 jovens voluntários e outra em 10 idosos, 4 técnicos e 18 jovens voluntários. Façamos a média: 17 voluntários e meio.
5) No Pelouro de Ação Social, são inúmeras as reuniões discriminadas uma a uma, inúmeras as participações, diversificadas as actividades. Para que conte, há entidades ou projectos como Agenda Regional para a Empregabilidade – Pacto Territorial para a Empregabilidade do Tâmega e Sousa, Norfin – Entidade Gestora do programa Mercado Social de Arrendamento, Associação Pegadas de Amor, Geração Aventura, MIS – Modelo Institucional de Suporte, Plataforma Supraconcelhia do Tâmega, Invista 2012- Feira do Emprego, Formação Profissional e Empreendedorismo, Rede Europeia Contra a Pobreza EAPN – Projecto ROMI, Banco Local de Voluntariado, Gabinete de Apoio (ou Acompanhamento?) Psicológico – Projecto Solidariedade em acção, Clube de Emprego, Programa Rede Social, Paredes Social, Projecto Mão Solidária – Loja Social de Paredes, ProjectoTeleassistência, CPCJ, Conhecer para Intervir- Ser cigano (Entre) Paredes, etc.etc. A continuar…

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Assembleia Municipal de Paredes - breve sumário

Uma sessão da Assembleia Municipal de Paredes ocorreu no passado sábado. O mais significativo da Assembleia esteve nas intervenções algo confusas sobre a criação do Mega Agrupamento Escolar de Rebordosa e Vilela e a tentativa de ilibação de responsabilidades por parte do vereador da Educação Pedro Mendes, bem como a contundente intervenção politica global de Álvaro Pinto, da CDU, sobre o resultado de 1 ano do Pacto de Agressão.

O município encontra-se paralisado em termos de realizações ou projectos, limitando-se o executivo a apresentar pretensas justificações para a inércia ou a destilar um pessimismo desalentador. Aumenta o tem critico de alguns elementos do PSD local, nomeadamente sobre o Mapa Judiciário proposto. A análise sobre os documentos apresentados sobre a actividade do município (Abril-Junho de 2012) efectuada pelo eleito da CDU Cristiano Ribeiro revela também um desleixo e descoordenação interna que se traduz numa má imagem externa. Há em muitos dos protagonistas do poder um claro sinal de fim de ciclo.

A situação financeira real do município é uma grande interrogação. Persiste o discurso opaco. A causas reais de dificuldades, por todos os municípios sentidas, somam-se o tradicional despesismo e clientelismos que ficam caro, embora perpetuem o PSD no poder municipal.

Por fim a votação da toponímia de Recarei, ao contrário do usual, obteve votos contrários do PS e a abstenção da CDU. Não tendo obtido a unanimidade dos votos da AF de Recarei, a proposta apresentada pelo Pelouro do Desenvolvimento Municipal, e aprovada por maioria na reunião do Executivo (votos contra do PS), estava prejudicada pela prepotência do PSD na AF de Recarei, ao recusar proposta da CDU de atribuir o nome 25 de Abril a uma rotunda, para posteriormente aprovar o mesmo nome a outra.